Publicações

ISECORP1

DIRIJA OLHANDO PELO PARA-BRISA, NÃO PELO RETROVISOR!

19 jun 2020

Por Beneditto Marques.

Muito se tem falado, até exaustivamente, desta pandemia que se instalou na Terra, exortando sua letalidade, sua velocidade e abrangência, mas principalmente o quanto foi determinante para promover mudanças antes impensáveis ou pouco factíveis.

Mas não é para falar disso que aqui estamos; queremos dar foco numa forma diferenciada de ver e analisar as coisas, eventos e situações. Os estragos socioeconômicos que o vírus causou, devem ser vistos e lembrados como instrumentos de mudança e melhoria, olhando para a frente através do para-brisa, vislumbrando um novo e promissor futuro e nunca pelo retrovisor, cuja visão estreita e cada vez mais longínqua, vai perdendo a nitidez e a importância no novo contexto real.

Queremos dizer que, há uma certa tendência (ou saudosismo) por parte dos empreendedores, de tentar restabelecer conexão com fatos, meios e formas que outrora até tenham gerado resultados importantes, mas que devem ser revistos perante o novo cenário, para avaliar sua efetividade. Mesmo olhando para trás, é fato que ocorreram muitas mudanças e, efetivamente, deverá crescer muito o número de empresas que ao se descolarem das mudanças que não quiseram ver e entender, portanto, não reagiram a elas de maneira criativa ou eficiente, terão uma predição sombria. Claro que não é o que desejamos, mas fatalmente ocorrerá senão houver, no mínimo, reação às alterações de comportamento e de consumo que se desenvolveram durante o período de distanciamento e isolamento social, mudanças que explodiram num ritmo jamais visto. Se essas empresas acordarem e se prepararem para se adaptar e reagir à essas mudanças, ainda terão tempo não só para salva-las do pior, como para fortalece-las e não as condenar.

Temos certeza que empresas que não souberem lidar com as mudanças, se tornarão alvos fáceis da concorrência e da inépcia organizacional. A saída é aproveitar a força e o empuxo da mudança como mola propulsora para seu aprimoramento e fortalecimento, aproveitando delas, o que têm de melhor: a inovação, seja conceitual ou tecnológica. E acredite, as mudanças cada vez chegam mais rapidamente, por todos os lados, parecendo mais um bombardeio desordenado. E por que acontece isso?

A bem da verdade, essa velocidade e abrangência são manifestações das forças motivadoras da mudança, causando alterações profundas no mundo corporativo. Se o empreendedor compreender o significado dessas forças, a maneira como elas funcionam, estará no caminho certo para transforma-las em aliadas de seu crescimento ou solidificação. Entender, resolver e fazer as mudanças podem se transformar em diferenciais comparativos ou mesmo, a diferença entre prosperar ou sobreviver, evitando o fracasso e valorizando o sucesso.

Então toda mudança é uma força motivadora?
Força motivadora é o resultado de um acontecimento que provocou alterações nos processos de evolução ou estagnação. A partir desta força motivadora, somos capazes de modificar situações pertencentes ao passado, com vistas ao seu aperfeiçoamento para futuro, saindo da incômoda posição de “defensor” para “atacante”, como agente de mudança.

Então estamos falando aqui de administrar o futuro?
Sim, e para fazê-lo, temos duas opções: a) o Modo Passivo, quando apenas conduzimos as forças da mudança na direção que vinham tomando, apenas prestando atenção aos tipos de sinais – sociais, culturais, econômicos, demográficos, regulamentares, estilo de vida, tecnológicos e globais; b) Modo Ativo, quando administrar o futuro implica em agir, planejar ações para criar e moldar o futuro; Significa responder às mudanças por meio de constante inovação e aprimoramento, fruto das ideias que atendem necessidades e desejos das pessoas, dando-lhe vida; Perceber a mudança e mais do que reagir, antecipar-se à satisfação das lacunas provocadas, e não esperar para correr atrás ou acompanhar outros que saem na frente.

É fácil? Não! Mas gostaria de iniciar uma nova fase em sua empresa que a levará a outro patamar?
Estamos preparados para auxiliar empreendedores diferenciados que desejam implantar e praticar a administração do futuro em suas organizações, descobrindo e enfrentando novas exigências e desejos emergentes, criando novas oportunidades em produtos e/ou serviços. Administrar o futuro significa olhar pelo para-brisa, e não pelo retrovisor, pois o passado é praticamente administrável, apesar de seu valor histórico exemplificado.

Sucesso! É tudo que desejamos.